TRABALHO - Carlos

Jefferson Severino - 03/08/2018 SC 01571 JP

TRABALHO
Carlos
 

 
"Vai ter com a formiga, ó preguiçoso, considera os seus caminhos, e sê sábio". Pv. 6, v. 6.
 
O trabalho é o alicerce da vida, quando empenhado na construção da paz. Quem labora com prazer, por amor ao trabalho, esquece os infortúnios, diminui os problemas, retempera a Alma para todas as lutas que surgirem no caminho e avança com coragem, vendo na frágua o único caminho para a libertação espiritual e independência financeira.
 
O organismo do preguiçoso é contra seu próprio dono.
 
Quem não ama bastante o trabalho, deve observar a natureza, em todas as suas linhas e expressões. Nada pára no corpo ciclópico da criação.
 
A formiga não desanima com obstáculos, remove-os e tem celeiros para que não lhe falte suprimentos.
 
Toda sabedoria nasce na filosofia do trabalho.
 
E a virtude nunca aprova a inércia.
 
Água parada prolifera o perigo, o ar que não circula torna-se viciado e o homem sem diligência é rondado pelo desespero.
 
A ciência nos mostra, com toda a segurança, o cinetismo da luz, a circulação dos átomos, os movimentos dos mundos estelares e a pulsação incalculável do fluido cósmico, em todos os departamentos da vida...
 
Coloca tuas mãos, com urgência, nos serviços do bem, e não percas a paciência exigindo frutos.
 
Deus nos dá tudo para que trabalhemos. Até a própria vontade.
 
Acionemos, pois, todas as oportunidades inerentes a nós, em favor da vida, pois também fazemos parte dela.
 
Trabalhar é viver, e viver é trabalhar.
 
Cuidar de alguma coisa que nos eleva, é responder ao Senhor com a nossa capacidade de ajudá-lo.
 
Ocupar-se, sem a pobreza da reclamação, é falar alto para Deus, é atestado de quem já despertou das trevas para a luz.
 
Reclamar é desconhecer o bem que se recebe.
 
O preguiçoso é considerado como um morto, mas algum dia o poder do Pai Celestial, através do tempo e de Cristo, fá-lo-á ressurgir para a vida.
 
Carlos
Do livro: "Tuas Mãos"
Psicografia de João Nunes Maia 
 
 




« Leia outros artigos