UMA LUZ NO FIM DO TÚNEL - Carlos Augusto Fernandes dos Santos

Jefferson Severino - 03/08/2018 SC 01571 JP

UMA LUZ NO FIM DO TÚNEL 
Carlos Augusto Fernandes dos Santos
 
 
Estamos a dois meses das eleições. Dirigentes de algumas  siglas partidárias que se intitulam “partidos políticos”, articulam-se espertamente , mais uma vez,  e preparam-se para iludir eleitores , massa de manobra de incautos e alienados. Esse estranho agrupamento tem  tudo que não é virtuoso e não apresentou nenhuma proposta   para tirar do  atoleiro a economia do país, deixada em frangalhos pelos sucessivos governos dirigidos por políticos  criptocomunistas do PT   e socialistas fabianos do PSDB . As coligações , até agora, revelaram o mais do mesmo.
 
Num compadrio desprezível que congrega interesses de variada natureza, reúnem-se  indivíduos com visões de mundo e interesses  contraditórios, com o claro  objetivo de repartir fatias do poder. Verdadeiro “saco-de-gatos”.  O BEM COMUM  que deveria pautar a conduta dos nossos representantes e  ser a meta prioritária de todos , com raras exceções é procurado , embora intensamente divulgado.
 
Infelizmente, a atividade política  virou profissão e negócio rentável; a  substituição das velhas raposas,  como seria desejável, não ocorrerá . O sistema não permite   e a esperada renovação com a eleição de jovens promessas dificilmente será expressiva. Colabora para a degradação da atividade  política o  Instituto da Reeleição , invenção desastrosa do “Príncipe dos Sociólogos Brasileiros  “, o ex-presidente FHC.
 
Teremos de suportar, mais uma vez, o domínio das velhas famílias dos “coronéis”,  cujas atividades cartoriais e patrimoniais, há longos anos, dominam o cenário político  nacional. As reformas necessárias , sempre citadas com alarde antes e durante os períodos eleitorais, permanecerão  nos escaninhos do esquecimento.
 
Para agravar  ainda mais a atmosfera irrespirável , em ações orquestradas ,  artistas e intelectuais, membros do poder judiciário e lideranças do Partido dos Trabalhadores e afins  insistem em promover declarações e espetáculos com a intenção de pressionar os tribunais superiores  para libertar o ex-presidente LULA, preso e condenado em segunda instância. Desafiam decisões judiciais para atender  interesses inconfessáveis..
 
Nesse lastimável  quadro eleitoral , percebe-se  com facilidade  o  desencanto  de eleitores conscientes, que  só identificam  uma liderança capaz de colocar o país na direção contrária : a de JAIR BOLSONARO. Ela é  a única  candidatura realmente de oposição com condições de  enfrentar a viciada coligação  de esquerda  PT X PSDB que, há anos, domina o cenário político; BOLSONARO  tem afirmado , alto e bom som e sem meias palavras,  que,  se eleito,  enfrentará com vigor o  “status-quo” vigente.  
 
O crescimento do prestígio do Capitão Deputado ,em todo o país,  claramente assustou a turma do “toma-lá-dá-cá”, provocando rápida arregimentação de “políticos de todos os matizes”- O Centrão - e de diversos setores que perderão privilégios:  imprensa, artistas,  professores universitários simpáticos ao credo marxista e os sempre presentes políticos fisiológicos. Não faltaram, também,   empresários que historicamente têm patrocinado  a conhecida e indecente  roubalheira eleitoral.
 
Um feixe de luz surge no horizonte cinzento; ele precisa  iluminar o país.
 
General Carlos Augusto Fernandes dos Santos




« Leia outros artigos