DESCONFIANÇA E SUSPEITA - Joanna de Ângelis

Jefferson Severino - 06/03/2018 SC 01571 JP

DESCONFIANÇA E SUSPEITA
Joanna de Ângelis 

 

       Harmoniza-te com a consciência do dever cumprido, preservando a tua fé irrestrita em Deus, a fim de que a tranquilidade te homenageie os esforços.
 
       Quando alguém se desincumbe seriamente do compromisso que lhe cabe atender, prossegue integérrimo, sem aflição ou receio.
 
       A desconfiança é decorrência da insegurança pessoal, responsável por inúmeros danos que se estabelecem nos mecanismos psicológicos da criatura humana.
 
       Essa insegurança impessoal faculta distorção da realidade, que passa a ser observada de maneira equívoca, abrindo brechas morais para a suspeita infundada, a desconfiança perturbadora.
 
       Em todo agrupamento social, a diversidade  de opiniões, os registros de simpatia como da antipatia, as afinidades ou reações contrárias, são fenômenos naturais que se apresentam como desafios para convivência saudável.
 
       Deixar-se envolver pelos conflitos íntimos, que resultam da própria instabilidade, é caminho para dificuldades mais complexas, e desajustes de consequências graves.
 
*
 
       Se te sentes rechaçado no grupo onde te movimentas, tem paciência e persevera nos bons propósitos, produzindo para o bem.
 
       Não há reação negativa que não se dilua ante o dissolvente da produção edificante.
 
       Aqueles que não te conhecem reagem contra ti, graças aos conflitos que lhes são normais.
 
       Concede-lhes o direito de serem assim, da mesma forma que te permites as deficiências que te exornam o caráter.
 
       Se desconfias que alguém trama contra ti, não te aflijas, reagindo, porquanto é provável que não haja qualquer fundamento. No entanto, se for verdade o que suspeitas, permanece fiel, porque o problema é do outro.
 
       Evita contaminar-te com as vibrações morbíficas das desconfianças que te impedirão de realizar o programa que te diz respeito, perdendo o tempo em questiúnculas sem sentido ou afligindo-te sem proveito.
 
       Aprende a confiar em Deus e, por extensão, em ti mesmo, graças ao que faças de bom e de nobre, haurindo paz e alegria por identificar as possibilidades enriquecedoras que estavam adormecidas e as despertaste para o teu processo de crescimento.
 
       Se estás entre pessoas de pouca cultura, sê simples e compreensivo; se transitas entre sábios e intelectuais, torna-te capaz de entendê-los, sem perguntas desnecessárias ou humilhação dispensável.
 
       Em qualquer lugar podes permanecer com nobreza, sem exibicionismo inoportuno, sem receio injustificável.
 
       Prossegue seguro de ti mesmo, e trabalha-te cada vez mais.
 
       Um diamante no lodo brilha em qualquer facete na qual a luz incide.
 
       O Sol, mantendo a vida terrestre, não seca o pântano a pretexto de alterar rapidamente a paisagem.
 
       Mantêm-te calmo em qualquer circunstância e colherás sempre os resultados mais saudáveis que a desconfiança impede detectar.
 
*
 
       Ninguém foge do processo evolutivo, e nele somente acontece aquilo que é de melhor para o Espírito, quando este sabe identificar a finalidade, o objetivo da ocorrência.
 
       Lucra com o sucesso, mas aprende a colher os frutos que te oferece o ensejo da aparente desdita.
 
       O bom agricultor jamais desdenha o trato da terra que lhe é oferecida para cuidar.
 
       Conhecendo a composição do solo, trata-o com desvelo, remove pedrouços, coloca adubo adequado e semeia.
 
       O tempo retribui-lhe em bênçãos os cuidados que ele aplicou no amanho e preservação da área.
 
       Assim, não reclames da oportunidade de crescer, onde te encontras, com quem laboras e no momento em que atravessas.
 
       Confiante, prossegue em paz, e o tempo te brindará com harmonia íntima.
 
Joanna de Ângelis
Do livro “Fonte de Luz”
Psicografia de Divaldo Pereira Franco




« Leia outros artigos