ESFERA DE VIGILÂNCIA - Carlos

Jefferson Severino - 01/03/2018 SC 01571 JP

ESFERA  DE  VIGILÂNCIA
Carlos
 
O homem prudente oculta o conhecimento, mas o coração dos insensatos proclama a estultícia. Pv. 12, v. 23.
 
 
        O homem prudente nunca mostra o que sabe. A verdade, por si, se expande. O insensato proclama por toda a parte até o que não conseguiu ser.
 
       A sabedoria alimenta a vigilância. A estultícia se encontra ao desamparo, à mercê de todas as investidas do mal.
 
       O místico tem o máximo cuidado no que pensa, no que diz e no que escreve, para que em nada seja motivo de escândalo.
 
       Situa-te na esfera de vigilância, pois que serás avaliado pelo que fizeres das oportunidades. Não peças peixe a quem somente te pode dar pedra, e nem pedra a quem tem pão, em abundância.
 
       A prudência aumenta as virtudes, para que elas se multipliquem no céu da alma. E a invigilância anuncia, antes, qualidades ainda a caminho.
 
       Faze o que puderes em favor dos que sofrem e choram, dos estropiados e presos, dos famintos e nus, mas com critério,  para que as tuas forças, amanhã, não desfaleçam.
 
       Pensa nos outros, mas não te esqueças, igualmente, de ti. Pensa m ti, mas nunca abandones o próximo.
 
       Os homens se completam, quando unidos pelo amor.
 
       A vigilância é uma esfera luminosa e circula onde está sendo alimentada.
 
Carlos
Do livro “Gotas de Paz”
Psicografia de João Nunes Maia
 




« Leia outros artigos