PROTETORES TERRESTRES - Emmanuel

Jefferson Severino - 11/02/2018 SC 01571 JP

PROTETORES TERRESTRES
Emmanuel

 

Em nos reportando aos benfeitores celestiais, não nos esqueçamos dos protetores terrestres.
 
Muita gente espera, levianamente, a proteção dos anjos, quando ainda não sabe nem mesmo apreciar o esforço enobrecente dos homens de bem.
 
Sem dúvida, mais tarde, alcançaremos o paraíso...
 
Todavia, por agora, é preciso vencer os degraus que nos separam da glória divina.
 
Esses degraus jazem colocados à disposição dos nossos impulsos de melhoria, de regeneração, de auto aprimoramento.
 
Aqui, permanece simbolizado num pai afetuoso, que nos convida ao altar da consciência reta; além, é um coração maternal, que nos induz à bênção da sublimação pelo amor e pelo sacrifício...
 
Acolá, é um diretor de trabalho, aparentemente austero, que nos conclama, pelo exemplo, ao soerguimento de nossa dignidade pessoal no dever bem cumprido; mais além, é um amigo supostamente áspero, que nos compele ao desempenho das obrigações contraídas...
 
Subir ao céu não representa caminhar sob chuvas de flores.
 
O trilho do próprio Cristo, para o Alto, terminou na cruz que lhe antecipou a imperecível ressurreição.
 
Não te imobilizes, desse modo, na oração ociosa ou na fé inoperante, acreditando que os Mensageiros do Amor te assinalem as rogativas nascidas, muitas vezes, do propósito de conforto prematuro ou de lamentável insubmissão.
 
Lembra-te de que as Leis do Senhor estão refletidas, tanto quanto nos permite a evolução já alcançada, nas Leis humanas que nos dirigem os movimentos, e aprendamos a reconhecer, nos lidadores do trabalho construtivo e nos missionários do bem, os respeitáveis instrutores que nos compete, não somente admirar, mas assimilar e seguir.
 
Recordemos que, na hierarquia real da vida, jamais inverteremos a ordem que nos rege os destinos.
 
Ouçamos atenciosamente os benfeitores terrestres, a fim de merecermos contato com os orientadores celestiais.
 
Sem dever corretamente atendido, não há direito consolidado.
 
Sem criaturas de bem, não há bem para as criaturas.
 
O primeiro passo para a conquista do Céu, há de ser dado por nós, na Terra, e, por isso, antes de reclamar o socorro dos anjos, imitemos, cada dia, os grandes trabalhadores da prosperidade comum, que formam, na humanidade, os padrões vivos do bem, na vanguarda do progresso e da luz.
 
Emmanuel
Psicografia de Francisco Cândido Xavier
Livro: Intervalos 




« Leia outros artigos