NA LAVOURA MEDIÚNICA - Joanna de Ângelis

Jefferson Severino - 25/12/2017 SC 01571 JP

NA LAVOURA MEDIÚNICA
Joanna de Ângelis
 
Na lavoura da mediunidade, o trabalho de aprimoramento moral do homem é de capital importância.
 
Terreno em desprezo, dá vitória à erva daninha.
 
Solo sem trato é prejuízo na economia da agricultura.
 
Cada médium revela, na aplicação das forças psíquicas, o estado da própria evolução.
 
Em razão disso, a grande variedade de médiuns é decorrência da larga faixa moral em que transitam os homens.
 
Aprimoram-se o caráter moral e os valores culturais do servidor e defrontaremos resultados superiores, no serviço mediúnico.
 
A faculdade medianímica, como outra qualquer, é neutra, em si mesma.
 
A direção que se lhe dá torna-a dignificada como perniciosa.
 
Variando de intensidade, de indivíduo para indivíduo, tem as suas raízes no Espírito, onde se fixam as necessidades evolutivas do ser.
 
Inata, desenvolve-se por criteriosos processos de educação e disciplina, dirigidos para os valores morais, mediante o exercício a que se deve submeter.
 
A mediunidade é inerente ao homem como o cociente intelectual, aguardando correspondente aprimoramento.
 
Possui-se mediunidade ou não se dispõe de mais amplos recursos medianímicos.
 
Se és médium, desatrela-te dos impedimentos de qualquer natureza, que te retenham no pórtico da lavoura mediúnica.
 
Se experimentas os sintomas que caracterizam a faculdade abençoada, não tergiverses ante o labor a ser atendido.
 
Libera-te das injunções da dúvida e submete-te a um programa disciplinante de aformoseamento moral e educação mediúnica.
 
Estuda a Doutrina Espírita e estuda-te.
 
Excita a vivência evangélica e pauta as idéias e aspirações na diretriz cristã.
 
Confia no tempo e não te atormentes pelos efeitos apressados.
 
Sintoniza com o Bem, a fim de que os Espíritos Nobres se afeiçoem ao teu esforço.
 
Afervora-te à vida interior, cultivando a reflexão e a prece de modo que te possas abstrair, quando necessário, da turbulência e da perturbação, sem alarde, mantendo equilíbrio psíquico.
 
Trabalha, na mediunidade e pelo bem de todos quanto possas, tornando-te medianeiro constante da esperança e da paz, do otimismo e da saúde a próprio e a benefício de todos.
 
Defrontarás dificuldades na lavoura mediúnica.
 
Se, porém, venceres aqueles problemas que se encontram em ti mesmo, superarás os outros, que se te afigurarão de menor gravidade e significado.
 
Joanna de Ângelis
Livro: Alerta - Psicografia de Divaldo Pereira Franco




« Leia outros artigos